domingo, 23 de janeiro de 2011

INTRODUÇÃO AOS VERBOS - TEMPO E MODO

Objetivos: Identificar verbos em um texto, sua aplicação e os diferentes usos dos tempos verbais.

Conteúdo: Verbos

Metodologia/ estratégias:

1º passo: Organizar a turma em grupos e oferecer a cada grupo um texto diferente retirado de revistas ou da internet, preferencialmente breves. Sugiro os tipos de texto abaixo por serem fáceis de fazer uma relação com os tempos/ modos verbais neles empregados, mas podem ser outros.

PROPAGANDA => VERBOS NO IMPERATIVO

NARRATIVA => VERBOS NO PRETÉRITO

RECEITA => INFINITIVO VERBAL

CRÍTICA LITERÁRIA=> PRESENTE

Os verbos dos textos devem ser grifados.

2º passo: Os alunos, após fazerem a leitura, devem identificar no texto os seguintes dados:

a) Qual o tema do texto lido e qual a sua finalidade?

b) Copie no caderno as palavras grifadas.

c) Na sua opinião, para que servem essas palavras?

Assim que os grupos encerrarem suas observações, devem relatá-las para a turma.

3º passo: Informar que as palavras grifadas se tratam de VERBOS e construir em conjunto com a turma uma definição para essa classe gramatical.

4º passo: Montar no quadro a tabela cujas colunas devem ser os tempos e modos que apareceram predominantemente nos textos trabalhados.
Como a aula é introdutória para o assunto, ainda não é necessário fazer uma diferenciação entre tempo e modo, mas é importante destacar seu uso. Para facilitar o enquadramento dos verbos na tabela, você poderá explicar melhor como identificar cada um deles, por ex., dizendo qual a desinência do infinitivo, etc.

5º passo: Após todos os verbos estarem na tabela, é hora de treinar sua flexão, mantendo a pessoa verbal e preencher as demais colunas. Nesse momento, também é interessante fazer alguns desdobramentos, como pretérito perfeito e imperfeito e acrescentar outros tempos verbais como o futuro do presente, partindo das manifestações dos alunos.

6º passo: Passar no quadro ou distribuir material impresso contendo todas as informações pertinentes sobre tempos e modos, inclusive as que ainda não foram trabalhadas na tarefa anterior. Comentar o material.

7º passo: Distribuir o texto “Carne do futuro pode ser artificial”, ler em grupo e pedir aos alunos que copiem um verbo de cada tempo/ modo, presente no material distribuído ou passado no quadro. Anotar no quadro os resultados obtidos pelos grupos, comentando.

            Carne do futuro pode ser artificial, diz cientista


                                           Vagnaldo Marinheiro

Se você gosta de carne, corra para uma churrascaria, porque renomados cientistas acreditam que em 40 anos não haverá suculentos bifes para todo mundo. Muitos terão de comer carne produzida em laboratório.

A advertência faz parte de uma série de 21 artigos científicos encomendados pelo governo britânico para projetar a situação alimentar do mundo em 2050. As conclusões: a população será de 9 bilhões de pessoas, e o consumo per capita de alimentos também crescerá, principalmente nos países em desenvolvimento.

Por isso, será necessário aumentar muito a produção de alimentos. Haverá competição por terra e por água, e o preço da comida vai subir. Nos últimos anos, a tecnologia ajudou. Técnicas de plantio, melhora nas sementes e controle de pragas aumentaram a produtividade.

Na pecuária, estudos genéticos, inseminações artificiais e redução de doenças fizeram os animais terem mais peso (30% a mais no caso das vacas desde 1960) e darem mais leite (30% a mais por vaca no mesmo período).

Chegará um momento, porém, em que preconceitos deverão ser deixados de lado. Aí entra a carne artificial, ou produzida em laboratório.

"A carne in vitro já se provou factível e pode ser produzida de uma forma mais saudável e higiênica que na pecuária atual", disse Philip Thornton, do Instituto Internacional de Pesquisas em Pecuária de Nairóbi, no Quênia.

Estudos sobre carne in vitro começaram há cerca de dez anos. Trata-se de retirar células de um animal vivo e fazer com que se reproduzam até virar tecido muscular. Em janeiro, europeus criaram carne de porco assim.

Curioso é que a discussão surja agora, quando o Reino Unido investiga se a carne de filhos de uma vaca clonada foi ao mercado sem aviso a autoridades e consumidores.

Para os cientistas, a necessidade poderá obrigar a população que hoje teme animais clonados a aceitar a carne produzida em laboratório.

Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/ambiente/784128-carne-do-futuro-pode-ser-artificial-diz-cientista.shtml. Acesso em 18 de ago. 2010.

Recursos: Textos extraídos de revistas ou internet, quadro, giz, material impresso (se optado por ele), papel e caneta.

Avaliação: A avaliação será no decorrer de toda a atividade, em que a professora, através da participação dos grupos, buscará identificar o grau de dificuldade apresentado pela turma a fim de enfatizar mais suas explicações sempre que necessário.

14 comentários: